Mensagem aos Visitantes

Gostaria de informar às pessoas que acessam este blog que a parte das informaçôes postadas neste blog são baseadas em minha experiência como diabético e em acessos a demais fontes de informação sobre o tema e, quando houver, com o link correspondente ao final de cada post. Portanto, acima de tudo, a preocupação é com a disseminação de notícias e dicas para facilitar o dia a dia do diabético.

Gostaria de lembrar também que é MUITO importante para nós que vocês votem na enquete "qual o tipo do seu diabetes?", pois poderemos ter um maior controle do público alvo que estamos atingindo.

Gostaria de avisar também que agora temos uma página dedicada para receitas diet. Acessem sempre que toda semana terá uma nova receita.

Modelo de Aplicação de Insulina

Loading...

quinta-feira, 7 de abril de 2011

INSIPIDUS OU MELLITUS?

      Para falar a verdade, só se parecem no nome. Por mais incrível que pareça, Diabetes Insipidus (DI) é muito diferente do Diabetes Mellitus (DM), até na quantidade de tipos.
      Só para começar, o principal sintoma do DI é a grande carga de urina sem glicosúria (excesso de açúcar). Um outro fator que ajuda na diferenciação é que, ao invés de três, o DI tem 4 tipos, são eles:
  • DI Hipofisário, Neurogênico ou Central: Falta de vasopressina (hormônio que regula a quantidade de urina), provocada pela destruição da glândula pituária. Normalmente, não há motivo conhecido para a repentina destruição de tal glândula, porém existem casos em que esta ocorre por causa de: tumores, infecções, ferimentos na cabeça e defeitos hereditários.
  • DI Gestagênico ou Gestacional: Caso em que a falta de vasopressina ocorre durante a gravidez e é causada pela danificação da hipófise ou pela rápida destruição do hormônio pela placenta. Os sintomas somem de 4 a 6 semanas após o parto, podendo voltar em futuras gestações.
  • DI Nefrogênico: incapacidade dos rins de responder ao efeito da vasopressina. Não há cura nem tratamento.
  • DI Dipsogênica ou Polidipsia Primária: Ocorre quando a grande quantidade de líquidos ingerida pelo paciente é muito superior à quantidade de vasopressina. É provocada por uma anomalia no cérebro e é extremamente parecida com a DI Hipofisário.
      Quanto ao tratamento, o mais comum é com uma versão modificada da vasopressina, a desmopressina (DDAVP).


Ass,
Gabriel Cruz Freitas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receba novidades via e-mail

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner